Charutos
 
HOME > ARTIGOS > RITUAL DO CHARUTO
   
Ritual do Charuto
Por Celso Nogueira


Como cortar, acender e fumar charutos.

Para a degustação de um charuto deve-se dispor de tempo suficiente, além de um ambiente próprio para fumá-lo sozinho ou na companhia de amigos que também apreciem este hábito. Pessoas que desejam fumar seu primeiro charuto muitas vezes, procuram artigos que ajudem a ter conhecimentos básicos sobre o assunto. Aqui você encontrará noções sobre os cortadores, métodos de acendimento e outras dicas que ajudarão a conhecer e apreciar ainda mais um charuto.

Escolhendo o charuto

Escolha a cor da capa que preferir, clara ou escura. Sinta o charuto suavemente entre os dedos (não o role pois isso pode causar rachaduras na capa) perceba se está muito úmido ou seco demais. Verifique a constituição do charuto para ter certeza de que não há rachaduras na capa e que a capa está em perfeitas condições. Enquanto alguns fumantes consideram que é perfeitamente natural segurar os charutos debaixo de seus narizes e cheirá-lo, outros acham desagradável que alguém enfie o nariz no charuto e depois o devolva para a caixa. Portanto, se desejar sentir o aroma do tabaco, aproxime o nariz cerca de 30 centímetros da caixa aberta e inale profundamente, isso será suficiente para determinar o bouquet e não causará problemas com outros consumidores.


Cortando o charuto

Coloque o charuto no cortador e corte-o: parece simples, não? Apesar de não ser ciência espacial, também não é tão fácil assim.

Se cortar demais a capa começará a soltar. Se cortar muito pouco a puxada será ruim. Normalmente remove-se aproximadamente 3 milímetros ou menos da cabeça. Cortar varia um pouco de charuto para charuto, mas é preciso deixar parte da capa para não desmanchar o charuto.

Um bom truque para conseguir o corte ideal é colocar o cortador em uma superfície plana e encaixar a cabeça do charuto nele. Aproxime o cortador o suficiente para que este agarre o charuto e faça o corte.

Para conseguir um corte limpo o truque é cortar de maneira rápida e completa. Cortadores de lâmina simples podem dar algum trabalho, mas normalmente se você exercer uma pressão rápida e regular tudo dará certo. Se você pretende fumar regularmente invista em um bom cortador, como Colibri, Zino ou Xikar.

 

Acendendo o charuto

Tente não soprar o charuto enquanto acende. Caso isso aconteça o sabor do charuto pode ser afetado. O pé do charuto deve ser aceso com um fósforo de madeira ou isqueiro de gás butano.

Evite usar coisas como velas, fósforos de papel, fogão ou isqueiros que usem fluidos (nafta) porque os produtos químicos de sua composição e os odores que emitem podem afetar o sabor do tabaco. Quando usar um fósforo, espere até que todo o enxofre queime por completo antes de acender o charuto. O instrumento ideal é o isqueiro de gás butano.

Comece a acender o charuto segurando-o num ângulo de 45 graus acima da chama, a cerca de 7 a 10 centímetros (dependendo da altura do fogo), gire o charuto até que o pé comece a acender. Nunca deixe que a chama toque no charuto, devagar dê baforadas enquanto gira o charuto ao redor da chama.

Dê uma olhada no pé e certifique-se de que está queimando uniformemente, você pode soprá-lo para garantir um acendimento completo. Depois que o charuto estiver aceso, deixe-o descansar por um minuto, uma pequena espera permitirá que o produto recém aceso se estabilize.

Fumando o charuto

Não tenha pressa com o charuto. Eles são feitos para serem saboreados e apreciados. Não são apenas uma dose de nicotina, como os cigarros. Dê duas ou três puxadas a cada 45 segundos. Fumá-lo apressadamente pode fazer com que o charuto apresente um gosto ruim.

Nunca inale (trague) o charuto. Apenas leve a fumaça até a boca. Conforme você for ganhando experiência pode experimentar exalar a fumaça pelo nariz. Essa ação é conhecida como retrohaling.

Manter a anilha ou retirá-la?

Essa é uma decisão pessoal. Alguns dizem que manter a anilha promove conversas entre os fumantes, enquanto outros dizem que é exibicionismo e que deixar a anilha é falta de educação. Se decidir retirar a anilha certifique-se de deixar o charuto esquentar, pois o calor derrete a cola e facilita a retirada. Lembre-se também que retirar a anilha de alguns charutos cubanos, como o Montecristo, é muito difícil (mesmo depois de aquecido) e pode causar danos à capa.

Reacendendo e jogando o charuto fora

Talvez um dos aspectos mais negligenciados referentes ao charuto é o ato de reacender um charuto apagado. Os charutos apagam naturalmente se não forem puxados a cada poucos minutos, então, reacender um charuto recém apagado não é um problema. Enquanto alguns afirmam que se pode aproveitar um charuto fumado parcialmente por mais de 24 horas, é melhor evitar reacendê-los depois de duas horas. Quando for reacender o charuto, segure a chama em frente à ponta e sopre para ajudar a expelir qualquer gás ou cinza que posa estar preso no charuto. Depois disso, siga os mesmos procedimentos para acendimento já citados.


Deixe a cinza queimar

Muitos charutos premium feitos a mão vão manter a cinza por um longo período antes que ela caia. Já a cinza de charutos mais baratos costuma formar flocos e cair com mais frequência. Tabacos que cresceram e foram tratados de maneira correta terão uma cinza mais clara do que a cinza muito escura que os charutos de baixa qualidade costumam ter. Alguns fumantes gostam de ver quão longa ficará a cinza antes de cair por si só – tenha cuidado quando estiver em um lugar público onde fumar seja permitido, ou em uma festa, você não vai querer que as cinzas caiam em sua roupa, ou no chão, ou no tapete.

A questão das cinzas envolve mais girar do que bater. Não há necessidade de ficar batendo as cinzas dos charutos a todo instante como as dos cigarros. Charutos feitos a mão são feitos com folhas inteiras de tabaco, o que faz com que segurem por mais tempo e com mais firmeza do que os cigarros, que têm as cinzas em forma de flocos e sempre acabam em seu colo caso você insista em deixá-las sem bater por mais tempo. Bater a cinza com muita força pode fazer com que a brasa caia, e você terá então que reacender o charuto.

 

Cinzas – Passo a passo

A melhor coisa é ter paciência. Espere até que a cinza fique com cerca de dois ou três centímetros, ou até que perceba que está se rompendo, antes de batê-la no cinzeiro. (se esperar muito tempo, a cinza certamente cairá em sua camisa, calça ou no chão. Apesar de algumas pessoas dizerem que cinza no tapete não é ruim, de modo geral, é considerado falta de educação).

Quando chegar a hora de bater, coloque o charuto na beirada de uma cinzeiro e gentilmente pressione o final do charuto contra o fundo do cinzeiro, girando o charuto ao mesmo tempo. Cuidado para não pressionar com muita força. Isso fará com que a cinza se parta por igual, e evitará qualquer um dos imprevistos citados acima. Se a cinza não quebrar, deixe o charuto no cinzeiro por alguns segundos, e então repita o processo.

Os cinzeiros

Cinzeiros são itens críticos para complementar os prazeres do fumo, assim sendo, devem ser escolhidos de maneira a se adequar ao tamanho do charuto e à sua técnica pessoal, ou seja, a maneira como você segura o charuto enquanto fuma ou como o mantém na boca (seco ou úmido etc.).

Cinzeiros antigos encontrados em brechós muitas vezes são velhos o suficiente para terem sido feitos especificamente para fumantes de charutos. Evite os modernos, feitos de cristal e com espaço para o descanso muito longo. Ficam sujos com muita facilidade, e são difíceis de controlar o charuto (naqueles momentos em que não estamos olhando para o que estamos fazendo).

O cinzeiro ideal tem um descanso (plataforma) para charutos com proporções generosas, como cerca de 5 centímetros de comprimento e 3 centímetros de largura, com uma curvatura larga para conter o charuto com facilidade, evitando que role para os lados.

Deve ainda ser grande o suficiente para suportar, pelo menos, a cinza de dois charutos grandes, caso contrário formará uma montanha de cinzas que deverá ser esvaziada a cada minuto. Quando um amigo visitá-lo será preciso que haja um cinzeiro com duas plataformas para apoiar os charutos e grande o suficiente para acomodar as cinzas sem dificuldade.

Para apagar o charuto, basta deixá-lo descansando por algum tempo. Apagá-lo pressionando contra o cinzeiro produz um cheiro ruim que polui todo o ambiente. Quando tiver certeza que o charuto está apagado, basta jogá-lo em um lugar apropriado.

Opções de cortadores

Existem três tipos básicos de cortes, o corte reto, o corte em cunha (ou “v”), e o perfurador, que faz um furo circular. O tipo de corte a ser feito é baseado na preferência pessoal e no tamanho e/ou formato do charuto. Fumantes experientes podem variar o tipo de corte ou usar sempre o mesmo tipo de cortador. O corte reto é o mais comum, e é sempre preferência no caso de charutos com calibre pequeno (charutos finos).

Cortadores retos

O tipo mais básico de cortador usado para fazer cortes retos é a guilhotina de uma única lâmina. A guilhotina com duas lâminas é preferência entre muitos aficionados porque costuma fazer um corte mais limpo. Tesouras especiais para charuto também são usadas para fazer cortes retos e podem ser a melhor opção para cortar o charuto no ponto exato que deseja. De qualquer forma, as guilhotinas costumam ser mais práticas, mais baratas e podem ser carregadas com segurança no bolso da calça ou da camisa. Guilhotinas de mesa, conhecidas como Maria Antonieta, são itens requintados de colecionadores e produzem um corte bom e preciso.


Cortadores em “v”

Cortadores em cunha ou “v” assemelham-se com as guilhotinas, mas o formato das lâminas faz um corte em “v” na cabeça do charuto ao invés de tirá-la por completo. O cortador é projetado para abrir somente uma parte do charuto, sempre com a mesma profundidade, então não há risco do corte sair muito profundo.


Furadores

Os perfuradores ou furadores são usados para fazer um furo circular na cabeça do charuto, ao invés de cortá-la. Se o furo não for grande o suficiente para o tamanho do charuto, a puxada pode ficar impedida. Além disso, à medida que o charuto é fumado, o alcatrão pode ficar acumulado próximo ao furo, alterando tanto o sabor quanto a puxada. No entanto, o furo de tamanho apropriado ajuda a fazer com que os sabores do charuto se manifestem, principalmente no caso de puros suaves.
Aqui vai uma dica: num momento de aperto, onde não haja nenhum cortador disponível, ou se desejar experimentar um charuto perfurado sem ter que comprar um perfurador, o furo pode ser feito utilizando uma caneta ou lápis.

Celso Nogueira

 

 

 
   
 

Onde Comprar Charutos
FAQ's Sobre Charutos
Charutos e Bebidas
Whisky e Charutos
A Arte de Degustar
Bitolas e Tipos
Marcas e Países